Bem-vindo ao site da CONFAGRI
25-06-2017 21:35
Go Search
 
 

 
Governo assegura aos produtores que quer aumentar a produção de eucalipto 

 

O Governo garantiu que pretende «aumentar a produção e a produtividade do eucalipto» e que continuará a apoiar o sector do celulose e do papel, em reposta às críticas feitas pela CELPA – Associação da Indústria Papeleira.

 

Em anúncios publicados esta sexta-feira na imprensa, a CELPA defendeu que a proibição de plantação de novas áreas de eucalipto é um «enorme prejuízo para a economia portuguesa», parte de uma «ideia errada e preconceituosa» e não tem fundamentação técnico-científica.

 

«Em primeiro lugar, o Governo não concorda, obviamente, com essa declaração. Contrariamente ao que é dito, o Governo pretende aumentar a produção e a produtividade do eucalipto, permitindo que se façam novas plantações de eucalipto em áreas de maior produtividade, por contrapartida à redução de áreas de fraca produtividade», disse à Lusa o Ministério da Agricultura quando questionado sobre as críticas da associação às propostas do executivo em relação à floresta.

 

O gabinete de Luís Capoulas Santos acrescentou que a indústria da celulose e do papel é «fundamental para a economia nacional», pelo que apoia e «continuará a apoiar o sector, nomeadamente através da atribuição de fundos nacionais e comunitários destinados à exploração florestal, incluindo os povoamentos de eucalipto».

 

«Em suma, o Governo pretende, simultaneamente, travar a expansão da área de eucalipto, que se tornou já a espécie dominante na nossa floresta, e aumentar a disponibilidade de matéria-prima para a indústria da celulose», acrescenta.

 

Uma das propostas do executivo em discussão para a reforma das florestas diz respeito à alteração do regime jurídico das ações de arborização e rearborização, para «reforçar os mecanismos de comunicação entre todas as entidades e criar regras para o cultivo do eucalipto».

 

Fonte: Lusa


Notícias Associadas:

Reforma da floresta debatida esta quinta-feira em plenário na Assembleia da República
Incêndios: Risco "Máximo" em dois concelhos e "Muito elevado" em 26 no centro e sul
Incêndios: Cabeceiras de Basto e Ribeira de Pena em risco "Máximo"
Incêndios: Dois concelhos com risco "muito elevado" e outros 50 com "elevado"
Arouca cria corredor florestal de 12 Km com espécies resistentes ao fogo


Imprimir  Enviar a um amigo

Voltar atrás