OCDE revê em alta crescimento do PIB da zona euro para 5,3%

Confagri 21 Set 2021

Fonte: jornaldenegocios.pt

A OCDE melhorou a sua projeção de crescimento para o PIB da zona euro este ano, apontando agora para 5,3%. Mas avisa que o ritmo de recuperação está a afrouxar e que continuam a ser necessárias medidas de suporte.

A OCDE reviu em alta a sua projeção de crescimento para o PIB da zona euro este ano, esperando agora uma subida de 5,3%. Os números foram revelados no Outlook interino da organização, publicado esta terça-feira, 21 de setembro.

As novas previsões da OCDE para o bloco da moeda única superam em um ponto percentual a projeção que tinha sido avançada em maio e são ainda mais otimistas do que a expectativa deixada pelo Banco Central Europeu (que aponta para um crescimento de 5% este ano).

Para 2022, a OCDE também reviu em alta a projeção de crescimento da zona euro, apontando agora para uma subida de 4,6% do PIB, mais duas décimas do que esperava em maio.

A explicar a melhoria das previsões está uma recuperação forte, suportada por medidas de apoio às economias e pelo avanço do plano de vacinação, adianta a organização. De entre as maiores economias do euro, só a Alemanha sofreu uma revisão em baixa das suas projeções de crescimento: em vez de 3,3%, o PIB alemão não deverá crescer mais do que 2,9%, antecipa a OCDE.

Já a projeção para França foi melhorada em 0,5 pontos percentuais, para um crescimento de 6,3%, para Itália a estimativa subiu em 1,4 pontos, para 5,9%, e para Espanha melhorou 0,9 pontos, para 6,8%.

Quanto à inflação, a OCDE espera 2,1%, para este ano, na zona euro (mais três décimas do que admitia em maio), mas um recuo para 1,9%, em 2022. Os peritos explicam que os preços mais elevados das matérias primas e os custos globais de envio estão neste momento a somar 1,5 pontos percentuais à inflação dos países do G20, explicando em grande medida a subida da inflação ao longo do último ano.

A projeção de crescimento para o G20 foi revista em baixa este ano (diminuiu duas décimas, para 6,1%) e em alta ligeira em 2022 (4,8%, mais uma décima do que o esperado em maio).

PIB mundial superou o pré-pandemia, mas perdeu-se um ano de produção

No relatório, a OCDE explica que o PIB mundial já recuperou o seu nível pré-pandemia e antevê um crescimento global de 5,7% este ano, menos uma décima do que esperava em maio. Porém, explica que estes valores escondem uma divergência grande de realidades: enquanto as economias avançadas recuperam, suportadas por medidas de estímulo e pelo rápido avanço da vacinação, esse não é o caso nas economias emergentes.

“O impacto económico da variante Delta tem sido até agora relativamente suave nos países com elevadas taxas de vacinação, mas afrouxou o momento de curto prazo em todos os outros e somou pressões às cadeias de fornecimento global e aos custos”, explicam os peritos internacionais.

“A recuperação continua muito desigual, com resultados surpreendentemente diferentes consoante os países, os setores [de atividade] e os grupos demográficos, em termos de produção e de emprego, deixando os países perante desafios de política diferentes”, assinala o documento. 

Além disso, nota a OCDE, o PIB continua abaixo do ritmo que era esperado antes da pandemia de covid-19. “A produção em meados de 2021 estava ainda 3,5% abaixo do que se projetava antes da pandemia”, lê-se no relatório. “Isto representa uma perda de rendimento real superior a 4,5 biliões de dólares (em paridades de poder de compra de 2015), e é genericamente equivalente a um ano de de crescimento global do PIB em tempos normais”, adianta ainda. Por outras palavras, é como se a pandemia tivesse provocado uma perda de um ano de atividade face ao que era esperado antes da covid-19.

Apoio continua a ser preciso

Perante esta análise, a OCDE defende que os Estados devem continuar a apoiar a recuperação da economia, avisando para o risco de retirar as medidas de suporte demasiado cedo.

“Uma retirada prematura e abrupta das medidas de suporte deve ser evitada, enquanto o cenário de curto prazo se mantiver incerto. Qualquer moderação nos gastos orçamentais em 2022 deve resultar de reduções das medidas relacionadas com a crise, à medida que a economia se fortalece e que a cobertura da vacinação aumenta, em vez de medidas de consolidação substanciais e discricionárias”, defende a OCDE. 

À medida que a recuperação se for concretizando, as medidas de política devem concentrar-se mais em promover um crescimento sustentável e equitativo, “incluindo investimento público adicional em saúde e infra-estruturas de baixo carbono, e em alterações na composição dos impostos”, recomendam ainda os peritos.

 

 

Balcão Verde

Balcão de Atendimento aos Agricultores.
Com o RURALSIMPLEX é possível junto das estruturas locais - Cooperativas Agrícolas, Caixas de Crédito Agrícola, Associações de Agricultores e outras entidades com o protocolo específico agrupadas na CONFAGRI - atender Agricultores e prestar-lhes serviços de qualidade.

Aceder ao Balcão Verde Acesso reservado
Newsletter e Alertas

Receba alertas das notícias que mais interessam no setor agrícola: Legislação, Programas e Incentivos, Formação Profissional, Produtos e Iniciativas, Cooperativismo e todas as novidades relacionadas com a sua atividade profissional. Subscreva a newsletter CONFAGRI