INE: Aumento da dimensão das explorações agrícolas e melhoria da produtividade

Confagri 28 Nov 2017

O número de sociedades agrícolas aumentou de 1,4 mil para 11,4 mil, mais 14,3 por cento e os indicadores laborais relacionados com a produtividade e a eficiência do trabalho melhoraram.

Segundo a informação do Instituto Nacional de Estatística sobre a estrutura das explorações agrícolas, publicada esta terça-feira, verifica-se um aumento da dimensão das explorações agrícolas e uma melhoria da produtividade e eficiência da mão-de-obra.

De 2013 para 2016, a estrutura das explorações agrícolas passou por uma alteração significativa, cuja dimensão média das mesmas aumentou 0,3 hectares de Superfície Agrícola Utilizada (SAU) para 14,1 hectares (ha), mais 2,1 por cento. A Dimensão Económica por exploração (DE) cresceu 2,8 mil euros por Valor de Produção Padrão Total (VPPT) para 19,9 mil euros, ou seja, mais 15,5 por cento.

Também o número de sociedades agrícolas aumentou de 1,4 mil para 11,4 mil, mais 14,3 por cento e os indicadores laborais relacionados com a produtividade e a eficiência do trabalho melhoraram.

A publicação do Instituto Nacional de Estatística (INE) indica que, em 2016, 70,2 por cento das explorações eram especializadas, ou seja, mais de 2/3 do Valor de Produção Padrão Total (VPPT) provém de apenas uma atividade, com destaque para a especialização em herbívoros, correspondente a 34,3 por cento do VPPT nacional e em culturas permanentes, estas de 21,1 por cento do VPPT nacional.

A agricultura de grande escala e de carácter empresarial formada, na sua maioria, pelas sociedades agrícolas, embora com uma representação de apenas 4,4 por cento das unidades produtivas em 2016, explorou quase 1/3 da Superfície Agrícola Utilizada (SAU) e produziu 44,6 por cento do efetivo pecuário.

Neste contexto, destaca-se ainda as explorações que regaram a maior parte da SAU e que, apesar de representarem em 2016 menos de ¼ do total de explorações e 10,9 por cento da SAU, geraram 36,2 por cento do VPPT nacional.

A par desta realidade, coexiste uma agricultura de pequena dimensão, esta composta por um elevado número de agricultores idosos e pouco qualificados, referindo ainda o INE que 72,8 por cento das explorações agrícolas em 2016 tinham menos de oito mil euros de VPPT.

Destaca-se assim, como aspeto negativo, o envelhecimento dos produtores agrícolas, os mais velhos da União Europeia dos 28 (UE-28), cuja média de idades passou dos 63 anos, em 2009, para os 65, em 2016, sendo que os dirigentes das explorações com mais de 65 anos geriam, em 2016, mais de metade das explorações, com uma Dimensão Económica (DE) de 9,5 mil euros, menos de metade da média nacional.

Apesar da evolução positiva da agricultura nacional, a produtividade média da mão-de-obra agrícola foi de 16,2 mil euros de VPPT por Unidade de Trabalho Ano (UTA) em 2016, menos de metade do valor na UE-28 em 2013. De igual modo, a eficiência da mão-de-obra agrícola foi inferior à média europeia, -37,7 por cento.

O INE divulga aqui os principais resultados do Inquérito à Estrutura das Explorações Agrícolas 2016: 

Anexo: IEEA

Fonte: Instituto Nacional de Estatística 

Balcão Verde

Balcão de Atendimento aos Agricultores.
Com o RURALSIMPLEX é possível junto das estruturas locais - Cooperativas Agrícolas, Caixas de Crédito Agrícola, Associações de Agricultores e outras entidades com o protocolo específico agrupadas na CONFAGRI - atender Agricultores e prestar-lhes serviços de qualidade.

Aceder ao Balcão Verde Acesso reservado
Newsletter e Alertas

Receba alertas das notícias que mais interessam no setor agrícola: Legislação, Programas e Incentivos, Formação Profissional, Produtos e Iniciativas, Cooperativismo e todas as novidades relacionadas com a sua atividade profissional. Subscreva a newsletter CONFAGRI