Número de vacas leiteiras subiu 4,3 por cento de 2014 a 2018, mas consumo de leite caiu desde 2010

Confagri 11 Abr 2019

O número de vacas leiteiras cresceu 4,3 por cento entre 2014 e 2018 com impulso dos Açores, mas o consumo de leite está em queda desde 2010, segundo o relatório do Grupo de Trabalho do Setor Leiteiro.

«No primeiro semestre de 2018 contabilizaram-se mais 10 mil animais do que em 2014, representando um crescimento de 4,3 por cento entre 2014 e 2018», lê-se no documento a que a Lusa teve acesso. Em 2018, o efetivo de vacas leiteiras atingiu 244 mil animais em Portugal, 148 mil no Continente e 96 mil nos Açores.

O crescimento verificado «deve-se muito» ao desempenho da Região Autónoma dos Açores, que registou, no período em causa, uma subida de 7,9 por cento no efetivo, ou seja, mais sete mil animais. Por sua vez, no continente, a subida foi de 2,1 por cento, o correspondente a três mil animais.

No entanto, o número de vacas leiteiras entre 2000 e 2014 registou uma quebra de 95 mil animais, ou seja, «houve uma diminuição de 29 por cento do efetivo em 15 anos».

Por exploração, o efetivo médio quadruplicou em 20 anos, passando de oito vacas por exploração em 1997 para 34,1 vacas em 2013, «valor que aparenta manter-se estável, desde então, com um registo de 34,3 vacas leiteiras».

De acordo com o relatório, que teve como relator o deputado socialista João Azevedo Castro, entre 2003 e 2013, verificou-se uma quebra na ordem dos 70 por cento do número total de explorações leiteiras, com incidência sobre as de menor dimensão.

As explorações com menos de 50 animais apresentam assim, no período em causa, uma redução de 75 por cento, enquanto o número de explorações de maior efetivo, superior a 100 animais, aumentou 85 por cento, sendo que, a partir de 2013, «constata-se uma tendência para a estabilização» destes valores.

De acordo com os últimos dados disponíveis, a produção de leite de vaca situou-se, em 2017, em 1.793 milhões de litros, sendo que a produção média anual atingiu um máximo de 1.877 milhões de litros em 2015.

No que se refere à transformação do leite, entre 2010 e 2017, constata-se «uma ligeira quebra na produção industrial total de laticínios, 8.995 toneladas a que corresponde uma variação de – 0,7 por cento».

Já o grau de autoaprovisionamento de produtos lácteos, entre 2010 e 2017 é, «na globalidade, insuficiente», fixando-se, em 2017, em 93,1 por cento, abaixo do pico de 97,2 por cento atingido em 2014.

Por último, o consumo humano de leite e produtos lácteos em Portugal «tem decrescido de forma contínua desde 2010». A descida do consumo per capita dos diversos grupos de produtos lácteos, com exceção da manteiga, revela, entre 2010 e 2017, uma diminuição de 14,2 quilos por habitante no consumo.

Destaca-se o consumo de leite que, entre 2010 e 2017, caiu de 84 quilos por habitante (kg/habitante) para 72,4 Kg/habitante, um decréscimo de 11,6 quilos correspondente a 13,8 por cento.

Fonte: Lusa

Balcão Verde

Balcão de Atendimento aos Agricultores.
Com o RURALSIMPLEX é possível junto das estruturas locais - Cooperativas Agrícolas, Caixas de Crédito Agrícola, Associações de Agricultores e outras entidades com o protocolo específico agrupadas na CONFAGRI - atender Agricultores e prestar-lhes serviços de qualidade.

Aceder ao Balcão Verde Acesso reservado
Newsletter e Alertas

Receba alertas das notícias que mais interessam no setor agrícola: Legislação, Programas e Incentivos, Formação Profissional, Produtos e Iniciativas, Cooperativismo e todas as novidades relacionadas com a sua atividade profissional. Subscreva a newsletter CONFAGRI