Agricultura do Norte crescentemente marginalizada

Confagri 06 Jul 2021

Diversas políticas que vêm sendo desenvolvidas nos últimos tempos pelo Ministério da Agricultura vão no sentido de marginalizar a agricultura do Norte e alguns dos seus sistemas produtivos, pondo em causa a viabilidade económica de muitas explorações.

Desde a opção pela convergência, que poderia iniciar-se em 2023, que começou a ser aplicada em 2021 e que penaliza fortemente a agricultura produtiva, como agora a proposta de uma nova ajuda à produção do milho que não contempla o milho silagem, componente alimentar fundamental da produção de leite e carne.

Da referida proposta, consta um apoio ligado à produção de milho num valor que pode variar entre 100 a 280 euros por hectare, mas cuja aplicação se restringe à vertente milho grão, ignorando a vertente “milho para silagem”, sendo que a utilização das produções finais de ambas as culturas é a alimentação animal.

A FENALAC considera que não há qualquer razão técnica válida para esta discriminação, existindo pelo contrário um conjunto de argumentos válidos que reforçam a necessidade de abrangência do milho silagem.

Com efeito, esta cultura é praticada essencialmente nos sistemas produtivos de leite e carne, os quais estão a ser fortemente afetados nos pagamentos da PAC, além de que os custos com a alimentação animal estão em alta, razão pela qual importa estimular a produção local, garantindo a sua viabilidade e reduzindo a dependência das importações.   

Concretamente, cerca de 37% da área de milho do Continente fica impedida de se candidatar a esta ajuda, uma vez que se destina à produção de silagem para alimentação animal, ou seja 32 mil hectares dos cerca de 56 mil hectares totais de milho.

Do ponto de vista regional, toda a produção de milho da Região Norte fica impedida de se candidatar, pois predomina a vertente de milho silagem, além de que o milho grão produzido na região não é escoado através de Organizações de Produtores (OP) especializadas, condição também imposta pela Tutela. 

De realçar que a região Norte representa quase 40% do total nacional em termos de superfície agrícola de milho, com cerca de 34 mil hectares cultivados, sendo claramente a região mais significativa nesta cultura.

Distribuição Regional da Cultura do milho em Portugal (hectares cultivados)

REGIÃO AGRÁRIA

 

 Milho

ilho Silagem

Total

Grão

Norte

Regadio

7 736

20 137

27 873

Sequeiro

4 656

1 503

6 159

Sub-total

12 392

21 641

34 033

Centro

Regadio

10 390

5 137

15 527

Sequeiro

3 996

932

4 928

Sub-total

14 386

6 068

20 454

Lisboa e Vale do Tejo

Regadio

19 311

2 133

21 444

Sequeiro

255

31

286

Sub-total

19 566

2 164

21 730

Alentejo

Regadio

9 424

2 647

12 071

Sequeiro

214

61

275

Sub-total

9 639

2 708

12 347

Algarve

Regadio

24

4

28

Sequeiro

12

1

13

Sub-total

36

5

41

Total

Regadio

46 885

30 058

76 943

Sequeiro

9 133

2 528

11 661

Total

56 018

32 586

88 604

   

63%

37%

 

Fonte: IFAP

Balcão Verde

Balcão de Atendimento aos Agricultores.
Com o RURALSIMPLEX é possível junto das estruturas locais - Cooperativas Agrícolas, Caixas de Crédito Agrícola, Associações de Agricultores e outras entidades com o protocolo específico agrupadas na CONFAGRI - atender Agricultores e prestar-lhes serviços de qualidade.

Aceder ao Balcão Verde Acesso reservado
Newsletter e Alertas

Receba alertas das notícias que mais interessam no setor agrícola: Legislação, Programas e Incentivos, Formação Profissional, Produtos e Iniciativas, Cooperativismo e todas as novidades relacionadas com a sua atividade profissional. Subscreva a newsletter CONFAGRI