Bombeiros da Mealhada e Pampilhosa envolvidos no combate à vespa asiática

Confagri 28 Nov 2018

A Câmara da Mealhada vai apoiar financeiramente as corporações dos Bombeiros da Pampilhosa e da Mealhada na aquisição de “kits” de intervenção e combate à vespa velutina, designada habitualmente como asiática, foi anunciado esta quarta-feira.

O objetivo é colocar os bombeiros locais na primeira linha do combate à vespa asiática, num concelho que tem em curso um projeto bem-sucedido de distribuição de armadilhas artesanais, construídas por crianças do primeiro ciclo.

Os “kits” dos bombeiros são compostos por uma cana extensível dotada de um pequeno reservatório onde são introduzidos químicos biológicos que são injetados nos ninhos, provocando a sua destruição.

«Esta metodologia é a aconselhada pela Associação de Modelismo Centro Portugal (AMCP), que começou por dar apoio no combate à vespa através de drones e acabou por se dedicar à investigação das melhores técnicas de combate, aconselhando, atualmente, 26 municípios do país», esclarece a autarquia presidida por Rui Marqueiro.

Carlos Filipe, da Direção da AMCP, esclarece que, inicialmente, as técnicas de combate à vespa asiática não eram as melhores, nomeadamente a remoção do ninho sem extermínio das vespas, acabando por originar a replicação de ninhos.

«Mas, atualmente, com a técnica já aplicada na Mealhada de injeção desta combinação de químicos biológicos com inseticida no vespeiro, consegue-se controlar esta epidemia», garante o dirigente da AMCP.

Os “kits” são relativamente baratos, o que faz com que a contribuição financeira da autarquia seja de 375 euros por cada uma das corporações de bombeiros daquele concelho bairradino, no distrito de Aveiro.

Ainda segundo Carlos Filipe, no concelho da Mealhada foram identificados e destruídos 135 ninhos este ano, um valor baixo comparado com o que acontece em municípios vizinhos.

A vespa velutina é uma espécie asiática característica de regiões tropicais e subtropicais do norte da Índia ao leste da China, Indochina e ao arquipélago da Indonésia, sendo a sua existência reportada desde 2011 na região norte de Portugal. Apesar das tentativas de controlo dos últimos dois anos, a vespa asiática tinha sido avistada em 12 distritos do país até ao final de 2017.

O Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas tem alertado para os efeitos da presença desta espécie não indígena, sobretudo na apicultura, por se tratar de uma espécie carnívora e predadora das abelhas.

A vespa asiática constitui também uma ameaça para a saúde pública, reagindo de modo bastante agressivo quando sente os ninhos ameaçados, «incluindo perseguições até algumas centenas de metros».

Fonte: MadreMedia/Lusa

Balcão Verde

Balcão de Atendimento aos Agricultores.
Com o RURALSIMPLEX é possível junto das estruturas locais - Cooperativas Agrícolas, Caixas de Crédito Agrícola, Associações de Agricultores e outras entidades com o protocolo específico agrupadas na CONFAGRI - atender Agricultores e prestar-lhes serviços de qualidade.

Aceder ao Balcão Verde Acesso reservado
Newsletter e Alertas

Receba alertas das notícias que mais interessam no setor agrícola: Legislação, Programas e Incentivos, Formação Profissional, Produtos e Iniciativas, Cooperativismo e todas as novidades relacionadas com a sua atividade profissional. Subscreva a newsletter CONFAGRI