Impacto da guerra comercial nas “commodities” agrícolas pode ripostar contra Trump

Confagri 06 Nov 2018

Se a China continuar a retaliar o protecionismo de Trump, poderá pressionar ainda mais o setor. Os estados agrícolas, principais apoiantes do presidente, não estão a beneficiar do crescimento económico do país devido à guerra comercial e poderão mostrar desagrado já nestas eleições.

O crescimento económico nos Estados Unidos da América (EUA) mantém-se robusto, mas não abrange todos os setores. O impacto da guerra comercial está a ser pesado para as matérias-primas agrícolas e, em consequência, para os agricultores norte-americanos. Dado que este é um dos grupos de apoiantes do presidente Donald Trump, o desagrado poderá ser mostrado já nestas eleições intercalares.

«As quedas das bolsas americanas provocaram uma mudança do sentimento nos mercados, agora mais negativo. As matérias-primas caíram de forma transversal, mas os bens agrícolas talvez tenham a maior importância», afirmou Ricardo Marques, economista da IMF – Informação de Mercados Financeiros, ao Jornal Económico.

Os EUA vivem o ciclo económico mais longo das últimas décadas e não se espera uma recessão nos próximos anos. No entanto, as correções dos mercados acionistas e a guerra comercial estão a penalizar as matérias-primas. Entre os metais, os futuros do aço norte-americano acumula uma desvalorização de 16 por cento desde o início do ano.

No campo das “commodities” agrícolas, o destaque está na soja, cujas exportações situavam-se, a meio do mês passado, nas 6,17 milhões de toneladas. O valor representa uma quebra de 3,4 milhões de toneladas face ao mesmo período do ano passado. Os futuros da soja norte-americana perdeu 7,5 por cento em 2018. Da mesma forma, o milho cedeu 6 por cento.

Se a China continuar a retaliar as políticas protecionistas do presidente Donald Trump através destes bens alimentares, poderá pressionar ainda mais o setor e, por conseguinte, os óleos alimentares.

A questão ganha especial destaque devido às eleições intercalares nos EUA, que se realizam esta terça-feira. «Os estados agrícolas, principais apoiantes de Trump, não estão a beneficiar do crescimento económico, devido à guerra comercial com a China, que parou de importar produtos agrícolas dos EUA», alertou o economista da IMF.

«A economia não deve mudar o voto de estados como Califórnia ou Nova Iorque, mas se Trump perder o apoio dos agricultores, pode perder o controlo do Senado, dificultando a recandidatura em 2020», acrescentou Ricardo Marques.

Fonte: jornleconómico

Balcão Verde

Balcão de Atendimento aos Agricultores.
Com o RURALSIMPLEX é possível junto das estruturas locais - Cooperativas Agrícolas, Caixas de Crédito Agrícola, Associações de Agricultores e outras entidades com o protocolo específico agrupadas na CONFAGRI - atender Agricultores e prestar-lhes serviços de qualidade.

Aceder ao Balcão Verde Acesso reservado
Newsletter e Alertas

Receba alertas das notícias que mais interessam no setor agrícola: Legislação, Programas e Incentivos, Formação Profissional, Produtos e Iniciativas, Cooperativismo e todas as novidades relacionadas com a sua atividade profissional. Subscreva a newsletter CONFAGRI